A genialidade criativa do saxofonista Kazuki Katsuta

Kazuki Katuta é um saxofonista japonês que se destaca por seu som brilhante e potente. Katsuta é um dos lideres do grupo de jazz fusion japonês Dimension, com o qual gravou mais de vinte discos focados exclusivamente na música instrumental.

O grupo Dimension se destaca por suas composições, que são riquíssimas de conteúdo e em grande parte são bastante difíceis de executar. No é a toa que o Dimension é considerado como um dos melhores grupos de jazz fusion do planeta, pois cada integrante se dedicou verdadeiramente à pesquisa do estilo jazz de fusão e ao aprofundamento técnico no seu instrumento.

No Dimension, Kazuki Katsuta sempre teve muito espaço para solos, principalmente de sax alto. Desde o primeiro disco que gravou com o Dimension, demonstrou extrema habilidade e domínio técnico do saxofone, e continua assim até hoje. Algumas das técnicas “saxofonísticas” que utiliza com frequência são o split tone, overtone, false fingering, multifônicos, half tongue e bends incríveis! Todas as técnicas mencionadas anteriormente (além de muitas outras), se não forem bem dosadas durante a execução podem de certa maneira “poluir” a música e “agredir” o ouvido do espectador. Mas dentro da proposta do jazz rock e jazz de fusão, Katsuta consegue intercalar sua criatividade musical a técnicas complexas e muito “científicas” utilizadas por profissionais do saxofone.

Leia também:

A liberdade criativa de Kazuki Katsuta

Além da questão técnica voltada ao saxofone, Kazuki Katsuta também é incrivelmente consciente na hora de criar suas melodias, premeditadas ou improvisadas. Sua liberdade criativa é demonstrada de maneiras diferentes em cada faixa que ouvimos, em qualquer que seja o disco do Dimension.  Há solos tão fluidos que em certos momentos os demais membros do Dimension dão um “break” ou apenas o deixam solar sob (ou sobre) a condução de uma bateria para que possa expressar sua liberdade criativa. Sua inteligência musical é fora do comum e sua personalidade de timbre no saxofone e na música dão a entender que este saxofonista japonês dedicou muitíssimo tempo à prática de seu instrumento e a pesquisas sobre um universo teórico da música muito abrangente, no que diz respeito à harmonia, polirritmia, contraponto e a outros elementos que podem ser percebidos em sua música.

Saxofonista Kazuki Katsuta

Um detalhe muito importante que deve ser observado em Kazuki Katsuta como saxofonista é que na maioria dos trabalhos gravados por ele em estúdio há uma excelente dosagem no timbre de seu saxofone alto com os demais instrumentos da banda. No entanto, em muitas gravações ao vivo nas quais Katsuta está presente, o saxofone parece soar um pouco mais “estridente” do que nas gravações em estúdio. Inclusive, se você pesquisar em alguns fóruns da internet irá encontrar algumas críticas ao que foi dito sobre o timbre do seu saxofone em algumas gravações ao vivo. No entanto, muitos são os saxofonistas mundo afora que curtem demais o timbre de Kazuki Katsuta, quer seja em estúdio ou ao vivo.

Como saxofonista e apreciador da música instrumental, me declaro fã de carteirinha do grandioso e fenomenal Kazuki Katsuta, um músico incrível que reflete em sua música sentimentos muito elevados e que nos ajudam a ver o quão alto, no sentido filosófico e técnico, o ser humano pode chegar como profissional.

 Vou listar abaixo alguns solos gravados por Kazuki Katsuta, nos quais demonstra muito do que foi dito no texto e coisas além do que pôde ser descrito.

  • Solo de saxofone alto gravado na faixa “Parable” (1996 - 7th Dimension) que pode ser ouvido entre 02:12 e 03:03 minutos da música. Nessa faixa há muitos traços de personalidade de Katsuta, caracterizados por clichês e licks que podem ser ouvidos em outros solos dele;
  • Outro solo impressionante pode ser constatado na faixa “Harvest Moon” (1998 - 10th Dimension), que começa “manso” em 01:51 e vai tomando uma forma melódica maravilhosa até o ápice que termina em 02:39 minutos da música;
  • Na faixa “My Stupid Imagination” (2009 - 22 Dimension), um título bastante sugestivo, Kazuki Katsuta deixa emanar em seu saxofone ideias imaginativas que o caracterizam como um grande solista e saxofonista de topo no mundo. Ouça o solo entre 03:38 e 04:14 minutos;
  • Para concluir a lista vai aí a sugestão de audição de um solo de sax tenor à la Michael Brecker, mas com a personalidade de Kazuki Katusta. O solo foi registrado entre 02:18 e 04:27 minutos da faixa “Bittersweet Days” (2009 - 22 Dimension).

Há muitos outros solos fenomenais que podem ser encontrados noutras faixas de discos do Dimension, além, é claro, de trabalhos que Kazuki Katsuta registrou com outros grupos e artistas ou mesmo em seus dois álbuns solo.

Boa apreciação!