Alguns licks dos saxofonistas Chris Hunter, Kazuki Katsuta e Armando Bermudez Mannygat

Assim como um bom escritor tem que ter lido muitos livros ao longo de sua vida para ser capaz de construir uma boa redação, narrativa ou outra categoria de escrita, todo o saxofonista que se preza e que deseja criar bons discursos musicais (composições instantâneas ou não) tem que ter feito muitas leituras, principalmente no que se refere ao ato de transcrever ideias já produzidas e registradas por outros saxofonistas ou outros instrumentistas.
Veja na matéria abaixo uma série de fraseados, sendo que alguns destes já estão transcritos em partituras.

O saxofonista britânico Chris Hunter e o japonês Kazuki Katsuta refletem em seus solos informações técnicas muito preciosas; o fraseado de ambos é um verdadeiro manancial de ideologias formadas a partir de muita pesquisa e experimentação, tendo como laboratório o saxofone aliado a sua "consciência harmônica", além, é claro, de suas experiências de vida.

Armando Bermudez Mannygat, também saxofonista e nascido na República Dominicana é outro grande exemplo, em se tratando do domínio técnico no saxofone e da construção de fraseados mais elaborados no instrumento. Ele pratica a arte da transposição, de Charlie Parker a Kazuki Katsuta e tem um apreço especial pelos métodos de Joseph Viola (principalmente o "Technique of the Saxophone - Volume 2: Chord Studies").

Na sequência de vídeos abaixo você verá e ouvirá alguns licks dos três saxofonistas mencionados nesta matéria.

Tópico: Alguns licks dos saxofonistas Chris Hunter, Kazuki Katsuta e Armando Bermudez Mannygat

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário